O nascimento de um valente índio

Catori Chesmu, descendente dos povos nativos dos Estados Unidos, era um índio nascido no século XVIII. Ninguém sabe exatamente a data – já não era mais jovem, mas sabe-se perfeitamente o significado do seu nome: Espírito Valente.

 

FORASTEIRA IPA - O INDIO
 

Surge a lenda

Catori tornou-se uma lenda tanto quanto a que ele mesmo perseguia. Em sua tribo, uma história era contada de geração em geração e o encantou ainda menino, a do Cavalo Mahu. Era um cavalo que não aceitou ser domesticado e viveu solto na natureza, aproveitando sua vida selvagem nas planícies norte-americanas. Esse humor agressivo reluzia em suas crinas cor de cobre.

A viagem

E foi por essa lenda que Catori deixou sua família e foi em busca de Mahu. Em uma viagem interminável. Sempre em um novo lugar a cada dia viveu muitas histórias. Estradas, totens, trilhas, cidades novas, paisagens inacreditáveis, arcos, flechas, saloons, vilas, ingleses e poucos amigos. Tudo passou por ele. Nada ficou. A não ser uma bebida especial que lhe foi apresentada por um branco e que tornou-se então sua companheira.

 

FORASTEIRA IPA - A VIAGEM
 

Pra sempre sua companheira

As longas travessias não permitiam que Catori carregasse uma reserva de cerveja. Estragava. Mas o estilo vendido por esse homem, que conhecia os segredos das cervejas que viajavam para a Índia nos navios ingleses, durava. A cerveja recebia uma dose extra de lúpulo. Ok. Isso fazia dela mais amarga, assim como nosso amigo Catori, após tantos anos em busca de Mahu.

Nunca se soube se o encontro entre Catori e Mahu aconteceu. Alguns dizem que as experiências que o índio viveu por tantos lugares que passou compensaram a busca sem resultado. Outros dizem que ainda é possível sentir no ar as notas cítricas de maracujá e abacaxi da cerveja saboreada por Catori no pôr-do-sol, quando o céu está cor de âmbar.