O destino pregou uma surpresa

Calvin Canyon era um jovem lenhador quando a viu pela primeira vez. Ela também. Um olhar acanhado e curioso do rapaz pousava sobre a família da moça. Eles estavam viajando e pararam para descansar na pequena vila em que Calvin morava nas Montanhas Rochosas. E lá estava ela, Rose, com seus cabelos louros, toda leveza e frescor da pouca idade passando vagarosamente pela rua.

shutterstock_422396089

Uma planície inteira até o amor

Mas o dia amanheceu e ela já não estava mais lá. Calvin conseguiu apenas descobrir onde Rose morava: uma vila aos pés dos Montes Apalaches. Assim, as grandes planícies norte americanas separavam os dois. Os anos também. Afinal, Calvin era jovem, como sair atrás da sua amada pelo país?

O ofício do lenhador

Sem esquecer Rose, Calvin finalmente atingiu a maioridade e assim, tornou-se um lenhador. O ofício que o levaria de trabalho em trabalho até o outro lado da planície. Calvin retirava obstáculos do caminho, abrindo mais espaço até o seu destino. As trilhas que no futuro seriam estradas, que ligariam outras pessoas distantes de seus amores, hoje eram esperança para ele.

A viagem

Foram anos. Cidades. Campos. Plantações. Cinturões de trigo e várias outras culturas. Pradarias. Árvores, muitas e poucas. Vilarejos. Estradas. Novos companheiros de trabalho e muitas viagens. A cada parada, novas experiências. Mas teve uma delas que foi mais marcante.

A nova experiência

Foi logo no início da sua travessia em um dia comum, como aquele em que conheceu Rose, que Calvin saboreou pela primeira vez uma autêntica American Wheat. O toque do trigo, como os que ele via pelas plantações do caminho, foi especial. A saudade agora tinha sabor.

A última árvore

Até que chegou o dia em que nosso lenhador derrubou sua última árvore. Solitária na pradaria, sua queda levou também a solidão de Calvin. Logo ali ao lado a paisagem já começava a mudar. Os montes Apalaches estavam próximos. E lá também estaria o seu amor. Se eles realmente se encontraram ninguém sabe. Todos esperam que sim. Mas pelo menos, agora é possível saber como o sabor da American Wheat atravessou as grandes planícies.

Para conhecer a Cerveja Forasteira inspirada nessa história, clique aqui.